Explante de silicone: tudo o que você precisa saber

Muitas mulheres procuram o cirurgião plástico para colocar prótese de silicone no seio. Os motivos para isso são variados. Desde estético até casos nos quais a pessoa foi submetida à mastectomia, por exemplo. Se esse é um procedimento cirúrgico conhecido, há outro que ainda não é tão popular: o explante de silicone.

Resumidamente, trata-se da retirada do implante mamário por meio de um procedimento cirúrgico. Veja como ele é realizado, quando é indicado e descubra como fica a mama após o explante de silicone.

Explante mamário está em alta?

Muita gente acha que depois que as próteses mamárias são colocadas, não é possível retirá-las. No entanto, o explante mamário é viável e vem sendo bastante procurado. O melhor de tudo é que novas técnicas estão sendo criadas, o que deixa os resultados mais satisfatórios. 

Embora a realização desse procedimento, muitas vezes, seja por indicação médica, há também um aumento da procura por parte das mulheres. E isso pode ser explicado por vários motivos. Um deles é a parte estética. Às vezes, a paciente já não se sente bem com o uso de silicone ou com o tamanho dos seios após o implante e decide tirar. 

Outros motivos para retirada do silicone devem ser preconizadaas pelo cirurgião plástico em avaliação clínica. Seja qual for o caso, a retirada do silicone é viável sim e nós listamos abaixo os eventos mais comuns que levam a isso.

Quem precisa fazer explante de silicone?

Quem colocou a prótese há 10 anos ou mais pode optar pela troca ou pelo explante de silicone. Além disso, há alguns casos em que, mesmo que a pessoa não queira, o médico pode orientar que a cirurgia seja feita. 

No geral, isso acontece quando há alguma complicação com o implante, que possa causar dano à saúde. Há também o descontentamento com o tamanho das mamas por parte dos pacientes. Veja algumas situações nas quais o explante de silicone é indicado. 

Linfoma de células grandes

O linfoma de células grandes é um câncer que acomete o sistema imunológico. Algumas vezes, as células anaplásicas são encontradas na própria prótese mamária e, por isso, o explante de silicone se faz necessário. Muitas vezes, quando o linfoma é diagnosticado bem no começo, apenas a retirada da prótese já é suficiente para tratar a doença. 

Síndrome Autoimune Induzida por Adjuvantes (ASIA)

Há também a chamada Síndrome Autoimune Induzida por Adjuvantes (ASIA), que é uma reação do corpo a algo que ele entende como estranho. Nesse caso, a prótese mamária. Como a reação imunológica é desencadeada pela presença do implante, o explante de silicone acaba sendo o tratamento viável. 

Contratura capsular

Esse é outro tipo de reação que o organismo pode ter após o implante mamário ser colocado. A contratura capsular consiste na criação de uma cápsula ao redor da prótese, que é produzida pelo organismo, na intenção de isolar o material. O problema é que o tecido é fibroso e rígido. 

Uma vez que o implante é envolvido pelo tecido fibroso, acaba enrijecendo a mama e causando dor. Em alguns casos, é vista até a alteração do formato da cápsula e, consequentemente, do seio. Quando isso ocorre, é possível tanto fazer o explante de silicone, quanto trocar a prótese. Tudo dependerá da avaliação profissional e, claro, da decisão da paciente. 

Ruptura da prótese

Muitas vezes, a ruptura é assintomática. Entretanto, quando o diagnóstico não é feito rapidamente, a pessoa pode notar o aparecimento de nódulos no seio e sentir dor.  

Seja qual for o caso, quando a prótese se rompe o explante mamário torna-se obrigatório. No entanto, assim como acontece no caso da contratura capsular, caso a pessoa deseje, é possível colocar um novo implante. 

Estética 

O explante também é indicado em casos nos quais a mulher não está satisfeita com o tamanho dos seios e gostaria de diminuí-los. Isso pode acontecer quando existe uma maior aceitação do próprio corpo ou por qualquer outra questão pessoal. 

Como é feito o explante de silicone?

O procedimento é realizado por meio de uma cirurgia. No geral, o médico consegue usar o mesmo local da incisão feita para realizar o implante, para fazer o explante. Isso evita a formação de mais cicatrizes. Após ele ser realizado, é possível colocar uma nova prótese, com outro volume, ou não.

tudo que você precisa saber sobre explante de silicone

Entretanto, caso não seja colocada uma nova prótese, é possível que a pessoa note uma flacidez na mama, que pode ser corrigida com  enxertia de gordura, por exemplo. Tudo isso deve ser conversado com o médico, antes da realização do procedimento, para que todo o procedimento seja combinado. 

Como ficam os seios após o explante

Com a retirada da prótese, é comum que a pessoa note uma possível flacidez mamária. Entretanto, há muitas técnicas novas, que podem ser usadas para oferecer um resultado satisfatório à paciente. A escolha da melhor opção será feita pelo médico, que levará em consideração o quadro clínico, bem como o volume de silicone a ser retirado. 

No geral, as técnicas são semelhantes ao que é feito em uma cirurgia redutora de mamas, na qual se utiliza o tecido mamário para recompor o seio esteticamente. Há também a possibilidade de realizar a lipoenxertia, quando o explante mamário é realizado. Ela permite compensar  parte do volume perdido com a retirada da prótese. 

A decisão de colocar ou não uma nova prótese após o explante de silicone vai depender de vários fatores. Dentre eles, por exemplo, a causa da realização do procedimento e, claro, a vontade da paciente. Seja qual for o caso, é importante sanar todas as dúvidas com o médico cirurgião plástico, bem como ver as alternativas existentes.

E se a troca de silicone for a sua escolha, veja dicas de como saber qual é a mais adequada para você. Não se esqueça de assinar a nossa newsletter!