Tudo que você precisa saber sobre a trombose venosa profunda

DOENÇAS VENOSAS – TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

Em nosso organismo há uma constância de trabalhos que são fragmentados para cada particularidade de nossa estrutura. As nossas artérias se encarregam do transporte do sangue bombeado pelo coração para todo o nosso corpo, as veias fazem o transporte do sangue pouco oxigenado para o coração – vindo de baixo para cima. E essa atividade está vinculada com o bombeamento muscular dos músculos das pernas e nas válvulas venosas, onde há um sistema que consegue impedir que o fluxo sanguíneo retorne a perna. Em caso de esse sistema falhar vai haver acúmulo de sangue nas pernas, originando a coagulação.

Tudo que você precisa saber sobre a trombose venosa profunda

Quais são os tipos de trombose?

Classificada em aguda e crônica.

Trombose aguda: De início uma trombose pode ser considerada uma ocorrência aguda que, muitas vezes, o próprio corpo utiliza de mecanismos para dissolvê-la, mas durante o processo de dissolução do coágulo que é natural do corpo, podem ficar sequelas no interior das veias, destruindo a estrutura das válvulas e então entramos para outra classificação.

Trombose crônica: Nesse momento que a doença se torna crônica, por conta das alterações nas válvulas, o retorno do sangue fica prejudicado e leva ao aparecimento de inchaço, varizes, escurecimento e endurecimento da pele e até feridas.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Também conhecida como flebite ou tromboflebite, a Trombose Venosa Profunda (TVP), é uma doença ocasionada pela coagulação do sangue dentro das veias – os vasos sanguíneos que retornam o sangue para o coração – em lugares e momentos não apropriados.  Na maioria dos casos, as veias que são atingidas por esse comportamento, são as veias dos membros inferiores do corpo – 90% dos casos nas panturrilhas e coxas -, vale lembrar que essa característica de coagulação é normal para o organismo, uma mecanismo de defesa, mas que nesses casos está funcionados de forma desregular.

Esses coágulos (trombos) causam os problemas em suas localidades, mas também podem afetar outras partes em caso de serem desprendidos, pois seu deslocamento pode chegar até o pulmão e causar obstrução de artérias. Essa complicação já mais conhecida como embolia pulmonar, o pulmão, sendo um órgão muito sensível de difícil regeneração, pode ser afetado de maneira extensa, levando o paciente a óbito.

Quando há um conjunto de lesões é chamado de síndrome pós-flebítica, ocorre o excesso de pigmentação na pele, varizes volumosas, inchaço, ulceras nas pernas e eczemas. O custo para o tratamento é bem alto, dificultando e prolongando todo o processo por ser pouco acessível.

O PROFISSIONAL DA SAÚDE QUE VOCÊ DEVE SE CONSULTAR:

- Clínico geral

- Angiologista

- Cirurgião vascular

PROVAVELMENTE VOCÊ SERÁ INDAGADO DAS SEGUINTES QUESTÕES:

Quando seus sintomas começaram?

Você sente dores nas pernas?

Com que frequência? Qual a intensidade das dores?

Há alguma medida que você tenha tomado que aliviou ou agravou os sintomas?

Há casos de problemas de trombose ou relacionado à coagulação sanguínea em sua família?

Sintomas

- Uma doença que tem a possibilidade de ser assintomática, porém caso for apresentar alguns sintomas serão:  

- Embolia pulmonar

- Edema

- Dor

- Calor

- Rubor (vermelhidão)

- Rigidez da musculatura na região em que se formou o trombo

- Síndrome pós-flebítica

- Edema (inchaço)

- Cor mais escura da pele

- Endurecimento do tecido subcutâneo

- Eczemas

- Úlceras

Diagnóstico

É feito o diagnóstico da doença através dos fatores de risco serem observados e confirmados no paciente. Alguns dos exames necessários são produzidos no laboratório de imagem, como a ressonância magnética, a flebografia e o ecodoppler colorido. Ao procurar de imediato um médico, começando o tratamento de maneira mais rápida o paciente evita complicações mais graves e sequelas maiores em seu corpo.

Exames:

- Ultrassonografia

- Exame de sangue

- Venografia

- Eco Color Doppler (Ultrassom Vascular)

- Tomografia e ressonância magnética

 

Os medicamentos mais usados para o tratamento de trombose são:

Aspirina Prevent

Brilinta

Clexane

Doumadin

Diosmin

Eliquis

Marevan

Fatores de risco e causas

- Predisposição genética

- Idade acima de 40 anos

- Obesidade

- Gravidez e pós-parto

- Câncer

- Uso de anticoncepcionais

- Hormonoterapia

- Dificuldade de deambulação

- Traumas

- Veias varicosas

- Tabagismo

- Cirurgias de longa duração

- Insuficiência cardíaca e/ou respiratória

- Viagens aéreas ou terrestres que obriguem o passageiro a ficar sentado por muitas horas

- Desidratação

- Predisposição genética

- Hormonoterapia

- Dificuldade para caminhar

- Insuficiência cardíaca e/ou respiratória

- Desequilíbrio nos fatores de coagulação do sangue

Prevenção

- Em caso da necessidade de passar por uma cirurgia de grande porte, seu médico, provavelmente, receitará anticoagulantes com intuito de evitar problemas, como trombose. Faça o uso de maneira correta dos medicamentos e, regularmente, faça retornos ao hospital

- A pratica de atividades físicas é muito importante, movimentar-se ajuda na circulação sanguínea. Tente movimentar bem suas pernas

- Evitar o excesso de peso

- Evitar o uso de tabaco

- Evitar alimentos com muita gordura

- Evitar consumo de bebidas alcoólicas

- Evitar medicamentos para dormir

- Em casos de você ter algum item da lista de predisposição para a doença ou esteve exposto a fatores de risco que favorecem sua produção, procure fazer exames constantes, não se automedique

- Use roupas e calçados folgados e confortáveis

- Aproveite todos as oportunidades para mudar de posição ou movimentar-se durante as viagens. Exercícios de rotação, flexão e extensão com as pernas e os pés enquanto estiver viajando são recomendados

- Use meias elásticas de preferência meias antitrombo

- Beba muito líquido para evitar a desidratação

Tratamento

O objetivo do tratamento é evitar a formação de coágulos ou promover sua reabsorção pelo organismo. São utilizados os medicamentos anticoagulantes (heparina e warfarina), e os fibrinolíticos que ajudam dissolvimento dos coágulos.

Alguns casos requerem intervenção cirúrgica.

 

Tratamento de compressão com meias

É indicado esse vestuário de compressão para o tratamento de doenças venosas. As meias exercem pressão mecânica sobre as veias pela parte externa, diminuindo sua amplitude, interrompendo a progressão da insuficiência venosa, assim o sangue pode fluir e retornar ao coração de maneira mais rápido e eficaz. Com o uso dessa pressão mais exata, as meias, tornam-se uma auxiliadora nas válvulas que já não se fecham adequadamente. A pressão na perna tem variações equilibradas: começa bem forte no tornozelo e termina mais fraca pela perna acima.

As meias mais atuais não possuem mais aquela aparência hospitalar, praticamente não se diferenciam dos outros modelos comuns para vestir. Os tipos: 3/4 de canelado fino, 7/8 semitransparentes, ou meias-calças possuem enorme variedade em cores, bordados em rendas e ainda garante seu poder de compressão. Além disso elas são divididas em: compressão leve, compressão média e compressão alta

Trombose tem cura?

A maioria dos casos são resolvidos após tratamentos, porém a doença pode retornar em algum momento. O tratamento é necessário com constância, pois a trombose pode evoluir e gerar complicações ainda maiores, podendo levar até a morte.

Siga a risca a ingestão de medicamentos passados por seu médico, faça visitas constantes ao especialista, dessa forma seu procedimento e todo o tratamento certamente terá um resultado favorável.

/uploads/oldnoticiasimages/2015/9/154_214_noticia_g.jpg
Legenda: ilustração da trombose profunda venosa.