Troca de prótese de silicone: dúvidas, mitos e verdades

O uso de implantes de silicone cresceu muito nas últimas décadas. Também nesse período, as técnicas e produtos usados também foram melhorados. Entretanto, alguns mitos sobre a troca de prótese de silicone continuam sendo propagados entre as pessoas. 

Como saber o que é verdade e o que não é? É realmente necessário fazer a troca de prótese de silicone? Se você tem essas e outras dúvidas, siga a sua leitura e descubra tudo o que precisa sobre esse procedimento! 

A troca de prótese de silicone é necessária?

Quem fez a cirurgia há muito tempo, provavelmente precisará realizar a troca de prótese de silicone. Isso porque o material que era usado há alguns anos permanecia no organismo, sem maiores problemas por 10 a 25 anos, sem maiores problemas. Depois disso, no entanto, um novo procedimento precisaria ser feito para colocar uma nova prótese ou simplesmente retirá-la.

Nesse caso, se a troca de prótese de silicone não for feita no período certo, é possível que aconteçam microrrupturas. Dessa forma, haverá um pequeno vazamento de silicone e início de um processo inflamatório. O tratamento deve ser realizado o quanto antes para que a inflamação não piore. 

Contudo, o material que é usado atualmente é feito de gel coesivo, o que faz com que tenha uma grande duração, sem sofrer danos. Nesse caso, a troca de prótese de silicone não se faz necessária, mas o acompanhamento é preciso. Assim, o ideal é que a pessoa passe pelo médico, para uma revisão, a cada 10 anos. Alguns exames serão feitos, como os de sangue e ressonância magnética, para verificar se tudo está bem.

Ao mesmo tempo, é preciso deixar claro que a troca de prótese de silicone pode ser realizada caso seja um desejo do paciente, seja para ficar sem elas ou para colocar uma com outro volume. Um novo procedimento também se faz necessário em casos nos quais haja algum rompimento ou mal posicionamento. 

Vale lembrar que, atualmente, para que uma prótese se rompa, é necessário que a pessoa sofra uma poderosa pancada. Isso pode acontecer, por exemplo, quando ela é vítima de um acidente de trânsito.

Outra situação em que a troca de prótese de silicone, por vezes, é realizada, é quando a pessoa emagrece ou engorda muito e ela acaba ficando mal localizada, devido à flacidez. 

5 mitos sobre troca de prótese de silicone

Agora que você já sabe quando é necessário realizar a troca de prótese de silicone, é importante esclarecer alguns mitos sobre o procedimento, que são comumente propagados. Confira e sane as suas dúvidas! 

1- A troca de prótese de silicone tem que ser feita por outra igual?

Mito! Quem colocou uma prótese há 10 ou 20 anos e, agora, precisa trocá-la, poderá optar por uma com um material diferente, mais moderna e durável do que a anterior. Além disso, é possível que o formato usado no primeiro procedimento, já não seja mais o adequado para o seu corpo.

Além do fato de que muitas pessoas perdem ou ganham peso ao longo da vida, por vezes, ao fazer a troca de prótese de silicone optam por colocar maior ou menor volume. Não há nada que impeça que isso seja feito, nem que o médico indique outro formato de prótese, por exemplo. Tudo será realizado e avaliado de acordo com os objetivos da paciente. 

2- A troca de prótese de silicone é perigosa, pois a nova pode romper 

Esse também é mais um mito que é amplamente divulgado. Muitas pessoas acabam ficando com receio de fazer o procedimento, por acreditarem que a realização de mais uma cirurgia pode levar a um aumento nas chances de rompimento. Contudo, isso não é verdade.

O fato é que, quando a  troca de prótese de silicone é feita no período certo, ela permite que a pessoa seja novamente avaliada por um médico. Isso é importante para a saúde. Além disso, ao colocar uma nova prótese, é usado um material mais moderno, com tecnologia avançada e que é ainda mais eficiente. 

Assim, além do risco cirúrgico, que deve ser avaliado e conversado com o seu médico, a  troca de prótese de silicone na época certa só resulta em benefícios. Afinal, as mais modernas são muito mais resistentes do que as usadas há décadas. 

3- O silicone da prótese atual pode causar câncer

Mito! Com o passar dos anos, muitos estudos foram feitos e o material foi aperfeiçoado. Isso faz com que ao realizar a  troca de prótese de silicone a pessoa acabe recebendo algo mais novo, moderno, testado e muito seguro. O risco de câncer já foi descartado por pesquisas.

Troca de prótese de silicone: dúvidas, mitos e verdades

4- Quem faz a troca de prótese de silicone tem dificuldade para amamentar

Mito! Assim como aconteceu com as próteses, as técnicas cirúrgicas para a troca também são sempre aperfeiçoadas. Assim, um médico pode realizar o procedimento e a paciente poderá ser mãe, além de amamentar, sem que o silicone interfira.

Para isso, a prótese é colocada abaixo do músculo ou abaixo da glândula mamária. Dessa forma, a amamentação não é afetada de forma alguma.

5- Toda mulher tem que fazer a  troca de prótese de silicone depois da gravidez

Esse é o quinto mito sobre troca de prótese de silicone que vamos elencar aqui e, provavelmente, você já ouviu algo assim. Muitos acreditam que a amamentação obriga a mulher a fazer um procedimento cirúrgico depois. Entretanto, isso não é verdade. 

Nessa etapa da vida, tudo acontecerá normalmente. A mulher sentirá um aumento no volume da mama enquanto está gestante ou amamentando. Na sequência, o tamanho diminui e volta ao que era antes. Nada precisa ser alterado.

Contudo, se você conhece alguém que fez a troca de prótese de silicone, saiba que isso pode ser por alguns motivos. Um deles é que muitas mulheres acabam gostando de ter seios maiores, como tinham enquanto gestantes. Por isso, preferem colocar uma prótese maior.

Outro motivo é como a mama aumentou de volume e depois diminuiu, é possível que uma certa flacidez aconteça. Em alguns casos, a pessoa fica incomodada por isso e opta pela  troca de prótese de silicone para um maior ou realiza um procedimento cirúrgico apenas para distender o excesso de pele. 

5 verdades que você precisa ficar atenta

1- Próteses de silicone têm validade

Esse é um ponto que deve ser considerado antes de colocar a prótese. Por mais que as novas sejam feitas de uma material durável e que seja possível a pessoa passar décadas sem realizar a troca de prótese de silicone, ainda não existe um produto considerado “definitivo”.

É por isso que o acompanhamento deve ser feito. No geral, novos exames são realizados a cada 10 anos e, caso qualquer alteração seja percebida, o médico poderá indicar a troca de prótese de silicone. Assim, antes de colocá-la, a pessoa deve estar ciente de que poderá, futuramente, ser submetida a um novo procedimento cirúrgico.

2- A cicatriz é real

A colocação da prótese é feita por meio de uma incisão cirúrgica. Como acontece em todo procedimento cirúrgico, há um processo de cicatrização. O local da cicatriz vai depender da técnica cirúrgica usada. Há três que são comumente realizadas pelo cirurgião:

  • Incisão submamária, cuja cicatriz fica escondida na dobra abaixo da mama;
  • Incisão periareolar, cuja cicatriz fica ao redor da aréola;
  • Incisão axilar, quando o procedimento é feito pela axila, visando deixar a cicatriz escondida nesta região.

A técnica escolhida varia de acordo com a decisão médica, que levará em conta o tipo de prótese e de mama. Entretanto, caso a pessoa tenha tendência à formação de queloide, é importante avisar o cirurgião. Isso, provavelmente, será levado em consideração antes da realização do procedimento.

3- Adultos de qualquer idade podem colocar prótese

Não existe uma idade ideal para a cirurgia de mama ser realizada. A qualquer momento, quando a pessoa não estiver feliz com o corpo ou quando por qualquer motivo precise realizar o procedimento, ela pode. Claro que, antes, serão feitos os exames para ter a certeza de que se está com a saúde boa e apta a ser submetida ao procedimento. 

4- A prótese a ser colocada é decidida de acordo com a sua mama 

Muitas pessoas acreditam que há um modelo único de prótese e que a única coisa que muda é o volume. Contudo, a verdade é que a escolha da prótese não é apenas de acordo com o tamanho que será aumentado.

O médico avalia também o formato atual da mama e o que a mulher deseja. Assim, a prótese que a sua amiga colocou pode não ser a mais adequada para você. Tudo dependerá da avaliação individual. 

5- A sensibilidade das mamas pode sofrer alteração 

Quando a colocação da prótese é feita, é preciso abrir um espaço para colocá-la. Durante esse processo de incisão, é possível que algumas pequenas estruturas nervosas sejam lesionadas. Isso pode levar a uma diminuição da sensibilidade da mama.

Entretanto, aos poucos, comumente a sensibilidade melhora. No entanto, isso pode levar alguns meses. Por isso, converse sempre com o seu médico, antes de realizar a cirurgia, e sane todas as dúvidas! 

Viu quantas informações importantes? Você já se sente preparada para a cirurgia? Então não deixe de conferir o nosso material sobre os tipos de cicatrizes e como tratá-las para minimizar e até diminuí-las.