Descubra como evitar queloide no piercing

A queloide é uma cicatriz avantajada, ou seja, ocorre um acúmulo de colágeno na área de uma cicatrização , podendo ser feridas, cortes, queimaduras, acnes, cirurgias, ou aplicação de piercing. 

Muitas pessoas, ao decidirem colocar um piercing, sentem o recebimento de desenvolver queloide durante a cicatrização. É um medo comum e compreensível, visto que há uma preocupação crescente com a pele, não apenas no fator estético, mas na beleza saudável.

Segundo uma pesquisa do Google Academy , o consumo e a rotina com produtos de beleza mudaram, e as pessoas se preocupam mais com a saúde e o efeito a longo prazo do que nos anos anteriores. Pensando nessa preocupação e cuidado, vamos falar sobre como evitar queloide no piercing e dar algumas dicas de cuidados.

banner tipos de cicatrizes

Mas afinal, como forma a queloide?

Como citamos no primeiro parágrafo deste artigo, a queloide é uma cicatriz avantajada, quando o tecido da pele cresce de maneira disforme pelo acúmulo de colágeno. 

Como queloides podem ter formato arredondado ou serem assimétricas, dependendo do tamanho. Possuem colorações diferentes, como avermelhadas, rosadas, esbranquiçadas ou até mesmo em tons mais escuros.

Podem ocorrer em qualquer indivíduo, mas existe uma maior incidência em pessoas de fototipagem mais escuras. 

Causas da Queloide

Não se sabe dizer ao certo a origem, mas médicos e especialistas acreditam haver uma predisposição genética que causam o excesso de produção de tecido da pele. Portanto, não há uma causa certa.

Quem tem predisposição à queloide, pode desenvolver com feridas comuns de cortes de facas, arranhões de animais, inflamações de acnes, queimaduras. Qualquer lesão que ocorra ou processo de cicatrização pode formar, por isso a queloide no nariz pode ser comum. Além disso, inclui até mesmo catapora, tatuagens e outras incisões.

Elas costumam surgir em áreas mais espessas do corpo, ou seja, onde a pele é mais grossa, como ombros e costas. A orelha é outro lugar muito comum para uma formação da cicatriz.

Como evitar queloide na cicatrização de piercings

A queloide não tem cura, mas existem formas de prevenir a aparição dessas incômodas cicatrizes. Para evitar uma queloide de piercing no nariz ou em outro local, à primeira dica, e talvez a mais relevante: faça o furo em estúdio confiável. Lugares que respeitem as medidas sanitárias, limpeza e utilização de produtos descartáveis ​​é o primeiro passo para a prevenção de possíveis inflamações ou mudanças que impedem a cicatrização saudável.

O material do piercing também conta muito. Dê preferência ao aço cirúrgico, titânio ou nióbio. Esses três materiais são os mais indicados por serem biocompatíveis, diminuindo muito o risco de reações alérgicas e inflamações, além de promover uma melhor e mais rápida cicatrização. Se você já possui algum piercing ou brincos, escolha o mesmo material com o qual seu corpo já está habituado, desde que seja de boa qualidade.

Dicas para prevenir queloide no nariz com piercing e demais locais

Existem alguns cuidados que podem ser tomados para uma boa cicatrização e evitar inflamações e aparecimento de queloides:

1- Evite tocar o piercing para evitar queloide no piercing

Principalmente nos primeiros dias, evite tocar o piercing toda hora, principalmente porque mãos não ficam limpas o tempo inteiro. Quando for limpar, higienize primeiro como mãos com sabão. Evitar o toque também evita que se faça pressão ou agrida mais o furo. 

2- Boa limpeza da área furada

O produto mais recomendado para limpar a área do furo é o sabão glicerinado ou que tenha pH neutro. Faça a limpeza da região duas vezes ao dia, pelo menos. No caso de aparecer crosta ou secreção, limpe a área ao redor do furo com soro fisiológico no cotonete ou algodão. 

3- Não fique girando o piercing

O furo do piercing é uma área que foi agredida e precisa cicatrizar. Fazer movimentos como girar a peça ou movimento-la de um lado ao outro nos primeiros dias, só piora a lesão. Esses movimentos só fazem com que a cicatrização seja mais longa e aumenta o risco de infecção. 

4- Não fure com pistolas, somente com agulhas

Furo com pistola é mais barato, mas também pode trazer maiores problemas durante a cicatrização. Escolha o estúdio de confiança e que utilizar agulhas descartáveis ​​e materiais esterilizados (tesouras, piercing, pinças). 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5- Compressa com soro fisiológico ou gelo

Nos primeiros sinais de qualquer inflamação, é recomendado fazer compressas com olhar no soro fisiológico ou gelo, mas tomando muito cuidado ao encostar na perfuração, evitando piorar a lesão da pele.

Gel de silicone para prevenção de queloide

Mesmo com todos os cuidados de limpeza e higiene durante a cicatrização, há quem prefira recorrer também ao Gel de Silicone para garantir a cicatrização sem qualquer inflamação ou surgimento das incômodas queloides.

O uso do Stratamed Curativo a base de Gel de silicone é muito recomendado entre os dermatologistas. O ideal é consultar um médico e usar somente sob orientação do mesmo. O profissional vai buscar indicar o melhor produto de acordo com sua pele e o tipo de furo que você fez ou pretende fazer.

Uso de corticoides

Se houver alguma inflamação no processo de cicatrização do piercing ou nos primeiros sinais de surgimento de queloide, o médico dermatologista pode recomendar a injeção de corticoide. 

Com a aplicação diretamente na lesão, o tratamento é feito por pelo menos em três doses e espaçamento que pode variar de 4 a 6 semanas.

Queloide ou granuloma?

Atenção para não confundir como duas coisas durante a cicatrização! Os granulomas são bolinhas pequenas, sempre avermelhadas, aparecendo ao redor do piercing quando a cicatrização não está indo bem.

Algumas das causas: a falta ou excesso de limpeza da perfuração, mexer demais na jóia ou material (agulha ou piercing) de procedência duvidosa. Fonte vem acompanhada de descamação da pele. Procure um médico dermatologista no caso de aparecimento de granulomas.

Sempre se atente aos sinais de má cicatrização ou reações alérgicas do seu corpo. Caso já tenha de queloide, é indicado evitar a perfuração de piercing novamente, mesmo que uma área do corpo seja outra. Lembrando que, queloide não tem cura, mas tem tratamentos que podem ser realizados.

Para saber mais sobre o assunto, não deixe de assinar a nossa newsletter!