Tratamentos que são referência em cicatrização pós-cirúrgica

A busca por cirurgia de caráter estético no Brasil aumentou bastante no último ano, o que indica que as pessoas estão  mais decididas e encorajadas a modificar seu corpo para melhorarem a autoestima, corrigir uma falha ou ainda realizar um sonho de ter uma parte do corpo de determinado modo.

 

Assim, temos as cirurgias de implante de silicone ou redução de mama, bem como diversas outras possibilidades cirúrgicas que deixam a pessoa mais feliz com seu corpo. Ainda que pareça menos invasiva, e em alguns casos é, a cirurgia estética requer os mesmo cuidados pós-operatórios que qualquer procedimento cirúrgico.

 

A recuperação da pele tem, no entanto, um peso maior nesse tipo de cirurgia, uma vez que sua função é corrigir uma falha ou melhorar a estética para o paciente. Portanto, para que essa felicidade seja completa, as marcas desse procedimento estético não podem ser aparentes.

 

É preciso, então, que o processo de cicatrização ocorra da melhor forma possível para não deixar sequelas ou mesmo uma cicatriz avantajada que precise, futuramente, de uma correção estética também.

 

Para evitar esse resultado não tão agradável, o ideal é cuidar do procedimento cicatricial de modo a garantir a plena restauração da pele sem qualquer problema. Em função disso, trataremos, neste artigo, de tratamentos recomendados para cicatrização pós-cirúrgica com o objetivo de garantir que o paciente procure soluções que são indicadas pela comunidade médica e sejam, de fato, eficazes para o resultado que ele procura.

Cicatrização pós-cirurgia estética 

Ter uma cicatriz imperceptível é o desejo que qualquer cirurgiado, ainda mais quando esse paciente vem de uma cirurgia estética, onde o objetivo é se sentir melhor com alguma parte de seu corpo. 

 

Considera-se uma cicatriz de boa qualidade aquela que além de quase não ver vista ou sentida pelo paciente, ela tem uma coloração bem próxima do restante da pele e não possui um volume sobressalente em relação ao restante do corpo.

 

Para quem opta pela realização de procedimentos estéticos, assim como qualquer procedimento cirúrgico, existe uma série de recomendações médicas para que a sua cirurgia deixe poucas ou nenhuma marca. São cuidados de rotina no processo de troca de curativo, de alimentação e medicação durante o período de cicatrização.

 

Sabemos que o processo cicatricial do corpo humano pode levar meses, dependendo do local e da profundidade da cirurgia. Então, em cada caso, é preciso consultar o médico para saber o que é permitido ou não fazer e ingerir durante esse período de resguardo e de cura do organismo.

 

É preciso ter em mente que a cicatrização é um processo natural de todo organismo, mas a sua evolução pode ser comprometida quando o paciente faz esforço físico indevido na região cirurgiada ou faz uso de álcool ou tabaco e nicotina, por exemplo. Além de outras questões, como ingestão de medicamentos inapropriados.

 

É sempre importante seguir à risca as recomendações do médico no processo pós-operatório. Inclusive, no que diz respeito à troca de curativo.

 

Quais são os tipos de cicatriz

tratamentos de cicatrização

Existem dois tipos de cicatriz que podem ser desenvolvidas caso não haja um cuidado redobrado com o corpo e a região cirurgiada: cicatrizes patológicas e cicatrizes inestéticas. 

 

As primeiras se resumem a formação de queloides e de cicatrizes hipertróficas. Elas são chamadas de patológicas porque podem causar dor ou coceira na região do corte, precisando de intervenção médica para que esse incômodo não interfira no resultado final da cirurgia.

 

Já as cicatrizes do tipo inestéticas não apresentam dor ou coceira, mas ficam com uma aparência indesejada (alargadas, discrômicas, retraídas), causando certo constrangimento na pessoa em seu convívio social.

Tratamentos pós-cirúrgico

Além de cuidado com a alimentação, repouso, evitar consumo de alcool e tabagismo, existem alguns tratamentos que auxiliam no processo cicatricial do corpo quando falamos em procedimentos estéticos que, por vezes, não interferem no funcionamento dos órgãos, sendo uma intervenção de caráter mais superficial, portanto, de recuperação bem mais tranquila. Ainda assim, é importante seguir à risca as recomendações médicas.

 

1. Drenagem manual

A drenagem linfática auxilia no pós-cirúrgico estimulando a circulação no organismo, especialmente na região do corte, uma vez que o paciente ficará em repouso, com pouca movimentação durante o processo de cicatrização da pele. Assim, a drenagem vai ser realizada de modo mais detalhado e delicado também para não aumentar o processo inflamatório da cirurgia. 

 

2. Radiofrequência

A radiofrequência é um procedimento que estimula a fibrose por meio do aumento de temperatura na região cirurgiada. Como resultado, tem-se uma cicatrização acelerada. Porém, a temperatura não pode ultrapassar os 37º para não causar queimaduras ou manchas na pele.

 

3. Cinta compressora e sutiã pós-cirúrgico

Os dois itens são fundamentais para quem faz cirurgia plástica para reduzir medidas, ou ainda aumentar (no caso de implante de silicone). A cinta compressora ajuda a posicionar os tecidos do corpo em sua nova posição, facilitando desse modo, a cicatrização, uma vez que com a cinta, o paciente não movimenta muito o tecido cirurgiado.

De modo igual, o uso do sutiã pós-cirúrgico ajuda na cicatrização da mama, pois sustenta o peso dos seios, enquanto a pele se recupera, evitando uma abertura dos pontos e consequente inflamação.

Os procedimentos pós-cirúrgicos em caso de cirurgia estética devem ser iniciados tão logo o médico libere para realizá-los. Quanto antes, melhor para a recuperação do paciente. Como benefício, tais tratamentos auxiliam na diminuição da dor e do desconforto, além de acelerar o processo cicatricial do corpo, como bem mencionado.

 

Do contrário, o retardo ou mesmo ausência desses tratamentos podem incorrer em cicatrizes inestéticas ou patológicas, algumas de caráter irreversível. Para que os procedimentos tenham os resultados esperados, cabe salientar a importância de se buscar um profissional comprovadamente qualificado para execução dos tratamentos e não comprometer o resultado final da cirurgia.

 

Como vimos, neste artigo, o aumento da procura por cirurgias estéticas é grande e com isso uma grande responsabilidade recai sobre os profissionais desse segmento. Assim, é importante sempre buscar capacitação e atualização na área que possam contribuir para uma cicatrização pós-cirúrgica satisfatória e sem sequelas.

 

Gostou desse conteúdo? Que tal receber mais novidades da ServiMedic Technology? Basta assinar nossa newsletter.