Cinta modeladora e pós-cirurgia: qual escolher e qual tamanho usar?

Um dos recursos mais utilizados para conquistar a silhueta perfeita é a cinta modeladora. Ela costuma ser usada no dia a dia ou após algum procedimento estético, como lipoaspiração, abdominoplastia e outros, e até após uma gestação.

A cinta reduz medidas, melhora a postura, ajuda na cicatrização no pós-operatório e modela o corpo. Mas afinal, como saber qual cinta escolher? Cinta modeladora ou pós-cirurgica? 

Para te auxiliar, criamos este artigo que reúne tudo o que você precisa saber para escolher o modelo ideal, além de mitos e verdades sobre o uso da cinta modeladora. Vamos lá?

Cinta modeladora e cinta pós-cirúrgica: há diferenças?

Existem alguns modelos de cintas modeladoras e a cinta pós-cirúrgica é uma delas. A finalidade do produto é a mesma. A diferença é que a cinta recomendada para ser usada no pós-operatório, além de ser compressora, precisa seguir alguns critérios como:

  • Tecidos confortáveis, que sejam respiráveis e absorvam bem o suor, com toque seco, impedindo que a pele fique úmida e tenha uma boa cicatrização. 
  • É recomendado que a cinta não tenha costura, mas tenha reforço para manter os músculos no lugar correto e fazer boa compressão, auxiliando na cicatrização dos pontos e diminuição dos edemas (inchaços causados pela cirurgia).
  • A abertura da cinta deve ficar na parte frontal, facilitando os movimentos na hora de colocar e retirar, já que não é recomendado que a paciente faça muitos movimentos nos primeiros dias após a cirurgia.

As cintas pós-cirúrgicas podem ser combinadas com tratamentos que são referências em cicatrização pós-cirúrgica. Em casos de procedimentos que incluem próteses de silicone, mastopexia e mamoplastia, é importante utilizar o sutiã pós-cirúrgico para uma recuperação completa.

As cintas comuns são de uso principalmente estético, utilizadas para remodelar a silhueta, comprimindo a barriga e diminuindo as medidas.

Quando é indicado usar cinta modeladora

A cinta modeladora é indicada para casos de cirurgias na coluna, órgãos abdominais, abdominoplastia, lipoaspiração, lipoescultura e outros procedimentos estéticos. 

Pode ser utilizada também para realizar exercícios físicos, pois a compressão ajuda a estabilizar os músculos das costas e facilita a prática de treinos de musculação.

Recomendada para pessoas obesas em processo de considerável perda de peso, promovendo bem-estar com o novo corpo, reduzindo a flacidez e utilizada após cirurgias plásticas para remover o excesso de pele.

 

Gestantes só podem utilizar cintas com material flexível e elástico, que não faça pressão na área da barriga, para não prejudicar a mãe e o bebê.

E as contraindicações?

O uso da cinta não é recomendado para pacientes pneumopatas, com pressão alta, obesos e obesos mórbidos. 

O uso não pode ultrapassar 8 horas diárias. Somente em casos de pós-operatório é recomendado o uso durante o dia todo, mas o tempo estabelecido pelo médico deve ser respeitado.

O uso constante da cinta modeladora pode causar dificuldades para respirar, má digestão, prisão de ventre e má circulação sanguínea.

Utilizar a cinta por muito tempo pode gerar insegurança quando está sem a peça, sendo prejudicial à saúde mental e qualidade de vida. 

Benefícios da cinta modeladora para o pós-operatório

Você chegou a este artigo, mas nunca usou uma cinta modeladora e está na dúvida sobre como ela pode te ajudar? Nós te mostramos quais são os benefícios!

  • Proteção da região operada: a cinta protege a região, impedindo o rompimento das suturas e diminuindo os edemas. Também dá mais segurança para a paciente realizar tarefas simples da rotina nos primeiros dias depois da operação.
  • Manutenção da postura: a cinta modeladora dá sustentação aos músculos locais e ao abdômen. Pois, ela deixa a coluna ereta, impedindo a projeção da barriga e garantindo um melhor resultado estético. Assim, a paciente adota a postura adequada e o risco de dores na coluna diminui. 
  • Acelera a cicatrização dos tecidos: Acelera a reabsorção dos líquidos que aparecem na região operada e causam inchaço Evita também a ocorrência de sangramentos e flacidez da pele.

Conheça os tipos de cintas modeladoras

Existem diferentes modelos de cintas modeladoras, cada uma sendo mais recomendada para uma finalidade. Antes de comprar, conheça quais são os tipos existentes e qual a recomendação de cada uma, facilitando assim a escolha da peça ideal.

Cinta abdominal

O modelo mais popular envolve toda a cintura e promove a compressão da região abdominal. Ajuda a disfarçar a barriga e gordura localizada. É ideal para quem deseja diminuir medidas de barriga, definir a silhueta e melhorar a postura. 

A peça pode ser utilizada no dia a dia, por baixo da roupa, mas não é recomendado ultrapassar 8 horas diárias com a cinta.

Cinta modeladora longa

O modelo cinta modeladora longa é ideal para modelar todo o corpo de forma confortável.  Ela melhora a postura e valoriza todo o tronco, além de ser um modelo perfeito para usar com roupas que cobrem toda a extensão do corpo, como vestidos, calças e macacões.

Cinta body

Esta peça faz compressão em grande parte do corpo e ainda tem a vantagem de modelar glúteos, cintura e seios. Alguns modelos não cobrem as pernas e outros cobrem como uma espécie de bermuda, para reduzir e modelar as coxas. 

Por ser um modelo com sustentação nos seios, valoriza o decote, corrige a postura e pode ser utilizada no dia a dia, porque a maioria dos modelos têm abertura entre as pernas, facilitando a ida ao banheiro.

Durante os dias mais frios, pode ajudar a aquecer o corpo. Pode ser combinado com vestidos casuais ou de festas. Pode também ser substituído por modelos de biquínis que realçam o corpo.

Calcinha modeladora

A calcinha modeladora tem formato de calcinha, mas com o cós mais alto para dar compressão ao abdômen, disfarçando a gordura localizada e auxiliando na redução de medidas.

O modelo é ideal para quem deseja valorizar e dar volume para os glúteos, realçar a curva da cintura e corrigir a postura. Pode ser usada junto com lingerie ou sozinha. Discretas, confortáveis  e podendo ser usadas em qualquer ocasião.

Cinta modeladora pós-cirúrgica com mangas

A cinta modeladora pós-cirúrgica pode ou não ter mangas. Em caso de procedimentos realizados nos braços, é indicado o modelo com mangas. 

 

A peça é utilizada para acelerar a cicatrização da região, evitando o atrito entre o braço e a extensão do corpo.

Como escolher a cinta modeladora ideal

Escolha um modelo do seu tamanho, nunca menor. Muitas pessoas acabam optando por números menores achando que mais compressão melhora o resultado. Mas esse tipo de escolha pode comprometer a respiração e os órgãos do abdômen.

Escolha o modelo que melhor se adapte ao seu guarda-roupa. Mesmo sendo usada debaixo da vestimenta, a cinta modeladora precisa ficar confortável e se adaptar bem para não marcar. O ideal é valorizar seus contornos corporais.

O tecido precisa ser respirável, evitando que o suor fique em contato com a pele, mas absorva a umidade dando mais conforto.

As cintas pós-cirúrgicas devem ter boa sustentação e não ter costura, promovendo maior conforto e facilitar os movimentos da paciente. Peça recomendações do médico para saber quais os melhores modelos para o seu tratamento pós-operatório.

6 mitos e verdades sobre cinta modeladora

1. A cinta pode causar problemas de saúde

Verdade! 

Usar a cinta por muito tempo pode causar problemas respiratórios e comprometer o sistema circulatório. Pessoas com problemas de trombose correm risco de desenvolver a doença se ultrapassam a recomendação do máximo de 8 horas de uso. Por isso, converse com o seu médico antes de adquirir uma cinta modeladora.

2. Usar a cinta emagrece

Mito!

O uso da cinta não emagrece. Ela reduz medidas das áreas modeladas pelo acessório. É preciso combinar o uso da cinta abdominal com uma alimentação saudável e exercícios físicos.

3. Dormir com a cinta acelera a definição da cintura

Mito!

Usar a cinta modeladora enquanto dorme não traz benefícios para redução de medidas. Ela pode até atrapalhar a movimentação do diafragma, a respiração, podendo causar prisão de ventre e má digestão. Em caso de pós-cirúrgico, o indicado é seguir a orientação de uso segundo o seu médico.

4. Pode ser utilizada em casos de diástase

Verdade!

Pode ser utilizada logo após o parto, mas apenas sob recomendação médica. O limite de uso é de 2 a 3 meses após a gestação.

O tratamento tardio de diástase não é feito por meio de cintas, recomenda-se procurar um profissional e tratamento fisioterapêutico.

5. Uso contínuo mantém o corpo melhor distribuído

Verdade!

O uso diário pelo tempo recomendado (até 8 horas) pode modelar e diminuir medidas de forma definitiva a longo prazo. Lembrando que a cinta sozinha não emagrece, apenas reduz medidas da cintura e áreas modeladas.

6. A cinta funciona mesmo?

Verdade!

A dúvida mais recorrente quando o assunto é cinta modeladora. O acessório altera o formato da cintura, proporcionando uma postura mais ereta, abdômen com medidas reduzidas e uma silhueta mais definida.  O contorno do corpo fica mais harmônico e elegante. 

Agora que você conhece tudo sobre cintas modeladoras, baixe nosso Guia "Benefícios da Reeducação Postural" para garantir uma postura definida e uma silhueta mais proporcional.